Fonte: SDDH 

Publicada em 24.05.2017

sddhA SOCIEDADE PARAENSE DE DEFESA DE DIREITOS HUMANOS-SDDH, entidade fundada em 1977, vem a público manifestar seu repúdio diante de mais um ato de extrema violência perpetrado por Agentes de Segurança Pública do estado Pará.

Neste dia, 24 de maio do corrente ano, tomamos conhecimento que após a reintegração de posse realizada na fazenda Santa Lúcia localizada em Redenção, foram expedidas ordens de prisão preventiva pela Justiça Estadual, e durante o suposto cumprimento destas prisões foram mortos 10 trabalhadores e trabalhadoras rurais. Segundo informações, várias das vítimas seriam de uma mesma família.

Estes assassinatos somam-se ao caótico retrato da Violência no Campo, sempre denunciada Comissão Pastoral da Terra –CPT. Em 2016 houveram 61 assassinatos, mais de 5 por mês (entre as vítimas, 16 jovens de 15 a 29 anos, 01 adolescente e 06 mulheres). No quadro dos últimos 25 anos, número superior a esse só em 2003, com o registro de 73 assassinatos.

É inadmissível que ainda hajam tantas mortes no campo em razão da inoperância do Governo Federal e Estadual no sentido de garantir a reforma a agrária e o combate à grilagem de terras públicas, prática essa contumaz praticada pelos “senhores das terras”.

Repudiamos mais uma ação vergonhosa praticada por integrantes das forças de segurança do estado do Pará que mais uma vez suja suas mãos do sangue de pessoas humildes que querem apenas exercer seu direito de plantar e semear.

A SDDH tem, ao longo de anos, apresentado petições às autoridades estaduais e judiciais pedindo a suspensão destas ordens de despejos e contra a atuação da polícia, pois consideramos que trata-se de questão social, e não policial, que deve ser resolvida por políticas públicas e não pela violência estatal, ou ainda pela criminalização de movimentos sociais.

Exigimos das autoridades competentes tomem providências para dar fim a esta mortandade de trabalhadores e trabalhadores, cujo sangue vem a muito tempo jorrando sobre o solo paraense e amazônico. Além de exigir a puição dos culpados por mais esta chacina, a SDDH buscará, com outras entidades como a CPT, denunciar o Brasil em organismos internacionais, na OEA e ONU, por mais estes crimes contra os direitos humanos.

Belém-PA 24 de maio de 2017.

SDDH – SOCIEDADE PARAENSE DE DEFESA DE DIREITOS HUMANOS

Anúncios